Com mudança em visto, brasileiros correm para investir mais de R$ 2 milhões nos EUA

Em 2018, Brasil ficou em sexto lugar entre países com mais vistos emitidos por meio do EB-5

Foto: Sam Hodgson/The New York Times

Desde 2016, o brasileiro Bernardo Schucman, 39, sonha em morar nos Estados Unidos.

O plano ainda não tinha uma previsão para ser concretizado. Há três semanas, porém, teve de adiantar o início dos procedimentos para tentar viver legalmente nos EUA.

Ele, que mora em Florianópolis (SC), corre contra o tempo para investir mais de R$ 2 milhões que lhe permitam mudar para o país norte-americano junto à família.

Assim como Bernardo, a médica veterinária Marília, 30, planeja morar nos EUA e também precisou agilizar seus planos: deve investir mais de R$ 2 milhões nas próximas semanas para se mudar para os Estados Unidos com o marido.

Bernardo e Marília são exemplos de brasileiros que querem recorrer com urgência ao programa EB-5, destinado a estrangeiros que planejam investir nos EUA.

O principal objetivo de quem aplica no programa é conseguir o green card, o visto que garante residência nos Estados Unidos.

A urgência se deve ao fato de que o valor atual do EB-5, que exige investimento de US$ 500 mil (mais de R$ 2 milhões, na cotação atual) do interessado no visto, vai ser reajustado a partir de 21 de novembro, quando a quantia mínima a ser investida sobe para US$ 900 mil —cerca de R$ 3,6 milhões na cotação atual.

Apesar de oficializado agora, o aumento é discutido há anos.

O interesse pelo programa teve expressivo aumento, por quem ainda quer se inscrever pelo valor vigente.

"Sempre existiu crescimento na busca pelo EB-5 entre agosto e setembro, porque o programa é renovado nessa época. Mas neste ano, com a oficialização do aumento, a busca pelo programa entre brasileiros mais do que dobrou", afirma o consultor Fernando Mello, especialista em investimento em EB-5 do Global Business Institute.

Assim como outros brasileiros que recorrem ao EB-5, os principais objetivos de Bernardo e Marília são fugir da violência e da crise econômica no Brasil.

Conforme especialistas consultados pela BBC News Brasil, os dois motivos costumam ser os mais citados por aqueles que buscam o visto.

Nos últimos anos, os números de brasileiros inscritos no EB-5 cresceram exponencialmente.

Em 2018, conforme o Serviço de Cidadania e Imigração dos EUA —em inglês, USCIS—, foram emitidos 388 vistos EB-5 a brasileiros.

O número inclui o investidor e família, como cônjuge e filhos de até 21 anos.