Cresce número de brasileiros no exterior

Estados Unidos da América é o lugar mais procurado por brasileiros que desejam morar fora, segundo dados do Ministério das Relações Exteriores


Dirigida pela Folha Vitória


De acordo com dados do Ministério das Relações Exteriores, ocorreu um crescimento de 16% no número de brasileiros no exterior entre 2018 e 2020 - de 3,6 milhões para 4,2 milhões. Em 10 anos, o número cresceu 36%. Especialistas apontam que é complicado comparar o movimento dos últimos anos com momentos anteriores, mas que há um crescimento fora da curva. "Esse movimento nos últimos anos é inédito e, de fato, representa a maior diáspora da história brasileira para os nossos padrões, um país que, historicamente, sempre recebeu imigrantes", declara um professor de Relações Internacionais da Fundação Getúlio Vargas (FGV).


Além disso, dados do Colégio Notarial do Brasil (CNB), que faz a união de cartórios, mostram um crescimento de 67% nos apostilamentos no segundo semestre de 2021. O apostilamento é um serviço de validação internacional de documentos pessoais, escolares e de dupla cidadania, que são solicitados às pessoas que vão morar no exterior e que podem ser traduzidos por um serviço de tradução juramentada em SP. Na análise apenas das solicitações de visto para estudos ou abertura de processos de dupla cidadania, o avanço é mais largo, indo de 299,5 mil no segundo semestre de 2020 para 693 mil no segundo semestre de 2021. A presidente do CNB afirma que os dados mostram ainda a saída de mão de obra mais qualificada.


10 países que mais atraem brasileiros


Nesse sentido, o Guia Comunidade Brasileira no Exterior de 2020, realizado pelo Ministério das Relações Exteriores, informa dados sobre brasileiros vivendo no exterior. Segundo o guia, estima-se que há, aproximadamente, 4.215.800 brasileiros vivendo fora do Brasil - um aumento muito grande ao longo dos anos: em 2010, o número era de 3.122.813. No ranking dos 10 países que mais atraem brasileiros, em primeiro lugar estão os Estados Unidos da América, com 1.775.000; em seguida, Portugal, com 276.000; Paraguai, 240.000; Reino Unido, 220.000; Japão, 211.138; Itália, 161.000; Espanha, 156.439; Alemanha, 144.120; Canadá, 121.950; e França, com 81.400.


Agora, em relação aos continentes, os números se apresentam da seguinte forma: em primeiro lugar, a América do Norte, com 1.941.950 (46,06%); Europa, 1.300.525 (30,85%); América do Sul, 589.737 (13,99%); Ásia, 227.864 (5,41%); Oceania, 63.273 (1,50%); Oriente Médio, 56.264 (1,33%); América Central e Caribe, 9.681 (0,23%); e África, 26.506 (0,63%).


Sobre os motivos que levaram as pessoas a saírem do Brasil, uma pesquisa encomendada pela Talenses, empresa que oferece soluções de recrutamento e seleção, apontou que 90,93% das pessoas iam em busca de um emprego. Na sequência, conhecer novas culturas (35,11%); crise econômica e aumento do desemprego (25,95%); não veem chance de crescimento no Brasil (22,67%); e queda no padrão de vida (16,27%). A pesquisa contou com a participação de 470 pessoas.