Visto E-2: excelente alternativa para quem tem passaporte de outra nacionalidade

Uma das perguntas mais comuns que recebemos, é sobre o funcionamento do visto E-2, que é aquele visto americano, para quem possui o passaporte de algumas nacionalidades específicas.

 

Mais de 80 países fazer parte desse acordo. Os mais comuns entre os brasileiros são os seguintes passaportes: Itália, Espanha, Alemanha, Argentina, Japão, Austrália, França, Canadá, Chile, Colômbia, Taiwan, Coréia do Sul, México, Holanda, Paraguai, Suíça, Polônia e Inglaterra, entre outros.

 

A grande vantagem desse tipo de visto é que ele pode ser obtido com valores de investimentos muito abaixo de um EB-5 (visto de investidor), que são no mínimo US$ 500 mil de investimento, e também abaixo de um L-1A (transferência de executivo entre filiais), que normalmente os advogados recomendam investimento de no mínimo US$ 200 mil. A recomendação normal de investimento para um E-2, é por volta de US$ 150 mil, mas o que a norma de imigração diz, é que o investimento precisa ser substancial e compatível com o tipo de negócio que está sendo aberto, sem especificar um valor mínimo. Sendo assim, temos exemplos de sucesso, de pessoas que investiram menos de US$ 50 mil e mesmo assim tiveram o seu visto E-2 aprovado sem qualquer ressalva. Logicamente, quanto menor o valor do investimento, maior o risco de uma negativa.

 

Uma parte importante para a aprovação desse visto, é a elaboração de um Plano de Negócios muito bem estruturado, que mostre para a Imigração os investimentos que serão realizados e a expectativa de retorno financeiro do negócio. O negócio pode inclusive ser uma franquia, ao contrário do L-1A, onde as franquias já têm um pouco mais de restrição para esse tipo de visto.

 

O visto normalmente é aprovado com validade de 5 anos, e não tem limite de renovações.

 

A grande desvantagem desse visto é não ter um caminho direto para o green card, e com isso a condição de permanência nos EUA será o aplicante estar trabalhando exclusivamente para a empresa que abriu, ao se candidatar para esse visto. Por outro lado, o cônjuge do aplicante principal, tem liberdade para trabalhar em qualquer empresa, como qualquer cidadão americano, e com isso, pode receber o patrocínio do green card através de emprego futuramente.

 

Existem muitas outras características importantes sobre esse visto, e por isso, a consulta com um advogado de imigração é sempre imprescindível nesse processo, lembrando que a JBJ Partners qualifica apenas os melhores advogados imigratórios dos EUA, para atuar nos casos dos seus clientes, sem qualquer tipo de remuneração direta ou indireta vinda dos escritórios de advocacia, justamente para manter a imparcialidade e a liberdade de poder atuar apenas com quem tiver um alto padrão de qualidade, sem precisar se preocupar com conflitos de interesse, o que é um grande diferencial em relação à prática de mercado.

  

 

Please reload

Featured Posts

Já pensou em empreender fora do Brasil? Confira dicas de especialistas

July 29, 2018

1/7
Please reload

Recent Posts