Vermont, o lugar dos EUA onde buscam-se imigrantes

Enquanto presidente americano Donald Trump diz que país 'está cheio' e não pode receber mais imigrantes, Vermont aguarda a chegada de mão de obra para impulsionar economia local.

Cidade de St. Johnsbury, no Vermont. — Foto: Ken Lund/Flickr

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou recentemente que o país estava "cheio" e, portanto, não era possível permitir a entrada de novos migrantes.

Mas os cidadãos de um estado americano majoritariamente rural não poderiam discordar mais desta declaração.

Há 40 anos, Curtiss Reed foi a Vermont, no extremo nordeste americano, nas férias para esquiar e ficou preso em uma tempestade. Ele teve que dormir em uma loja da Dunkin Donuts por duas noites até conseguir chegar à casa de um amigo. Com isso, teve muito tempo para apreciar a beleza natural do estado.

"Passei três semanas esquiando, comendo, bebendo e me convenci de que era um paraíso", diz Reed, que é consultor da Associação para a Igualdade e Diversidade em Vermont.

"Seis meses depois, me mudei para cá."

Mas desde então, Reed testemunhou o fechamento de muitas lojas no centro de cidades de todo o estado, o aumento dos impostos e a estagnação dos salários.

Ele avalia que isso está acontecendo porque historicamente Vermont tentou apenas atrair um único tipo de morador.

Homens brancos e heterossexuais

"A estratégia de marketing de Vermont por décadas foi atrair homens brancos heterossexuais com renda familiar de US$ 120 mil ou mais, e essa população está encolhendo", diz ele.

Embora o presidente Donald Trump tenha dito em visita à fronteira sul dos EUA, no início do mês passado, que "o país está cheio", Reed acredita que, se Vermont quer impulsionar a economia local, precisa atrair mais gente.

Mas o estado tem dois problemas: não tem mão de obra suficiente para ocupar os postos de trabalho já existentes e não sabe como atrair pessoas com perfil demográfico diferente da sua população atual, que é 95% branca.

Sob as políticas do governo Trump, cada vez menos refugiados, imigrantes e trabalhadores com vistos temporários entram no estado.

Joan Goldstein, responsável pelo Departamento de Desenvolvimento Econômico de Vermont, diz que há uma corrida em andamento. Segundo ela, vários estados do país estão competindo para atrair novos moradores.

"Eu sei que isso soa muito mercenário, mas estamos em um mercado competitivo", afirma.

Ela conta que Vermont implementou uma grande mudança em sua abordagem: em vez de tentar atrair negócios para o estado, está cortejando agora diretamente as pessoas.

"Outros Estados nos perguntaram como fizemos isso, porque também estão interessados ​​no mesmo tipo de tática", revela.